Boncuk esperou seis dias pelo dono à porta de um hospital

Chegava de manhã e saía à noite, como se fosse uma filha dedicada. Assim fez Boncuk durante seis dias, enquanto o dono estava internado num hospital turco.

Foto
DHA

Durante seis dias, Boncuk esperou pelo dono. À porta do hospital e à espreita lá para dentro, a cadela aguardou, ansiosamente, que Cemal Senturk fizesse o tratamento que o levou ao hospital turco. 

Para lá chegar, Boncuk seguiu a ambulância que foi buscar Cemal e, desde o primeiro dia de internamento, só voltava a casa para dormir: “Ela vem todos os dias às 9 da manhã e fica até anoitecer”, disse Muhammet Akdeniz, segurança do hospital, à agência DHA. E Aynur Egeli, filha de Cemal, contou que tentava levar Boncuk para casa, mas que ela acabava por regressar. 

Esta quarta-feira, 20 de Janeiro, Cemal teve alta. De cauda a abanar e a saltitar à volta da cadeira de rodas do dono, Boncuk não cabia em si de alegria. “Ela está muito habituada a mim. E eu sinto constantemente a falta dela”, disse o homem. Sobre os animais, lembrou que “trazem alegria e fazem as pessoas felizes”. “Fazem companhia como os humanos”, referiu. Às vezes melhor.