Histórias de sonhadores e oportunistas

Com Projectar a Ordem, a investigadora Maria do Carmo Piçarra prolonga o seu trabalho de pesquisa sobre os recantos mais escondidos do cinema português. Desta vez, é o cinema de propaganda salazarista e a sua exibição pelo país fora que se descobre, num livro de rigor académico pensado para o leitor comum.

Foto
Cine Jornal

Quando Maria do Carmo Piçarra (Moura, 1970) atende o telefone, à beira do regresso do país ao confinamento, confessa que já está a trabalhar num outro livro, o sucessor do título que serve de pretexto a esta conversa. Projectar a Ordem: Cinema do Povo e Propaganda Salazarista 1935-1954 é a mais recente adenda a uma obra de investigação que tem prestado especial atenção ao período do Estado Novo e à tensão entre a arte e a política, pesquisando exaustivamente os arquivos existentes sobre questões de propaganda e censura tanto em Portugal como nas então colónias africanas.

Sugerir correcção
Comentar