Governo italiano tem maioria mínima para governar se o Presidente não se opuser

“Precisamos de um Governo mais forte”, defendeu Renzi no Senado. Se Conte permanecer no poder, como é provável, não será à frente de uma maioria forte. Votação no Senado terminou em grande confusão.

Foto
Conte durante o voto de confiança no Senado ROBERTO MONALDO/EPA

Acabou em caos a sessão do Senado italiano onde se votava confiança ao Governo. Houve pedidos para ver o vídeo da segunda “chamada” e confirmar que dois senadores tinham votado a tempo. Houve demissões em directo, com Antonio Tajani a anunciar que os dois senadores da Força Itália (de Silvio Berlusconi) que votaram ao lado do Governo estão fora do partido. Houve avisos aos senadores para se manterem calmos, afastados e de máscaras postas, “com a Itália a assistir”. No final, perto das 23h, o primeiro-ministro Giuseppe Conte confirmou ter cumprido os mínimos.