Armindo Cardoso: um fotógrafo discreto, uma obra por conhecer

Viveu o Maio de 68 em Paris, a utopia do Governo de Salvador Allende no Chile e o pós-25 de Abril em Portugal de câmara fotográfica na mão. Muito exposto no Chile, pouco conhecido em Portugal, a qualidade do seu trabalho não deixa dúvidas. Armindo Cardoso foi uma testemunha privilegiada de um tempo em que acreditar na vontade popular, na força de um colectivo era importante. Exposição no Museu do Aljube até 31 de Janeiro.

Foto

É um homem de poucas palavras, apesar de guardar memórias bem precisas do que viveu. Lembra-se com o mesmo pormenor da sua ida para França para fugir à guerra colonial ou do que lhe serviram num dos jantares para que foi convidado na casa que o Presidente chileno Salvador Allende partilhava com a sua “mulher não oficial”: pescadinhas fritas e frango regados por belos vinhos, com direito a uma conversa sem formalidades.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários