Brisa vai investir 55 milhões na conservação e renovação de auto-estradas em 2021

Beneficiação do nó de Ermesinde e estabilização de taludes na CREL entre a lista de empreitadas previstas para o próximo ano. Taxas de portagem mantêm-se iguais a 2020.

Foto
nelson garrido

A reformulação do nó de Ermesinde, localizado na auto-estrada A4, que liga Porto a Amarante, e a estabilização de taludes na A9, que faz a Circular Regional Exterior de Lisboa (CREL), estão no lote de obras que a Brisa Concessão Rodoviária (BCR) prevê realizar em 2021. De acordo com o plano de investimentos da empresa, cuja presidência executiva foi recentemente atribuída ao ex-ministro da Economia Pires de Lima, as obras de conservação e renovação de auto-estradas vão atingir no ano de 2021 um orçamento de 55 milhões de euros.

De acordo com informação disponibilizada pela empresa, as principais obras a realizar no novo ano passam pela continuação do alargamento do sublanço Águas Santas-Ermesinde (A4/A3), um investimento que já levou ao alargamento do túnel de Águas Santas e vai agora chegar ao nó de Ermesinde. Estão ainda previstas obras de beneficiação do pavimento nos sublanços Torres Novas (A1/A23) – Fátima (A1), Elvas Poente - EN246 (A6) e Montijo – Pinhal Novo (A12);

Estão ainda previstas beneficiações de pavimento em várias auto-estradas, como a A1 (Porto-Lisboa), A2 (Lisboa-Algarve), A5 (Lisboa-Cascais), assim como a reabilitação de viadutos nas auto-estradas A1, A2 e também A3 (Porto-Valença). Serão ainda instaladas mais barreiras acústicas nas auto-estradas A1, A2 e A4 (Porto-Amarante) e feitas obras de estabilizações de taludes também nas auto-estradas A1 e A2.

Este volume de investimentos é ligeiramente superior ao que foi feito durante o ano de 2020 (52 milhões de euros) e, de acordo com a empresa, “está em linha com a prática da Brisa de realização de obras para melhoria contínua dos níveis de serviço prestado e de segurança rodoviária”.

 Tal como havia sido anunciado em Outubro, quando foi conhecida a taxa de inflação que serve de referência à actualização das portagens, as 364 taxas de portagem geridas pela Brisa irão manter-se inalteradas, face aos valores praticados em 2020.