Acabou o 365 Algarve, o programa cultural fora da época de praia

A secretária de Estado da Cultura considera que o projecto é “da maior importância para a região”. Mas por decisão do Ministério da Economia, que tutela o turismo, volta tudo à estaca zero após um investimento de 1,5 milhões/ano.

Foto
Eva Poro (2019), espectáculo de arte comunitária ao ar livre inserido no projecto Lavrar o Mar, financiado pelo 365 Algarve NUNO FERREIRA MONTEIRO

Ao fim de quatro edições, desaparece o programa cultural 365 Algarve – uma iniciativa conjunta das secretarias de Estado da Cultura e do Turismo para potenciar a atractividade da região na época baixa. Financiado pelo Turismo de Portugal com 1,5 milhões de euros/ano, recebeu nota positiva na avaliação feita pela Universidade do Algarve, mas chumbou na tutela do turismo. Assim, a sobrevivência de cerca de duas dezenas de associações culturais e empresas ligadas à realização de eventos fica pendurada na boa-vontade dos municípios, que vão ter mais 800 mil euros para criar uma Programação Cultural em Rede, em ano de eleições autárquicas