Yakuzas vs. tríades

Miike pratica uma relação descomplexada com a violência, mantém as coisas num primitivismo sanguinolento.

Foto
Um retrato em realismo feérico do submundo de Tóquio

Takashi Miike diverge do género em que se tornou autor de culto (o fantástico) e desce à terra para um Primeiro Amor muito físico, tão físico que a única assombração – as visões da protagonista feminina, traumatizada pela relação com um pai abusivo – tem origem explicitamente psicanalítica.

Sugerir correcção
Comentar