Nove meses depois da morte, família de imigrante morto no SEF não recebeu qualquer contacto do Estado

Família pede a António Costa que seja paga indemnização antes do julgamento. “Tinha expectativa elevada sobre a justiça em Portugal e vê que as responsabilidades pelo que aconteceu não são assumidas pelo Estado”, diz advogado. Julgamento começa a 20 de Janeiro.

Foto

Nem o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, nem o primeiro-ministro, António Costa, nem o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, nem a directora nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Cristina Gatões, contactaram alguma vez a família de Ihor Homenyuk, cidadão ucraniano que morreu no dia 12 de Março no centro do aeroporto em Lisboa, diz a família. Três inspectores do SEF estão em prisão domiciliária acusados de homicídio qualificado. Bruno Sousa, Duarte Laja e Luís Silva​ são suspeitos de terem agredido até à morte Ihor Homenyuk.