Nova School of Business and Economics volta a estar entre as 30 melhores da Europa

Portugal tem três representantes, menos um do que no ano passado, na lista de 90 instituições que é organizada pelo Financial Times.

Foto
Nuno Ferreira Santos

A Nova School of Business and Economics (Nova SBE) continua a estar entre as 30 principais escolas de negócios da Europa, de acordo com o ranking anual do jornal especializado Financial Times, que é publicado esta segunda-feira. Há outras duas faculdades nacionais na lista, a Católica Lisbon Business & Economics e a Porto Business School (PBS). Já a escola de negócios do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa deixou de estar entre as melhores europeias.

A Nova SBE surge na 26.ª posição do ranking, o que significa uma subida de quatro lugares face a 2018 e 2019. Este resultado “resulta da aposta da escola num crescimento sustentado e numa cultura de inovação e excelência e na internacionalização nos mestrados e na formação de executivos”, valoriza o director da Nova SBE, Daniel Traça.

O ranking das escolas de gestão europeias do Financial Times baseia-se nas pontuações globais que cada escola obtém na avaliação de cada um dos elementos da sua oferta formativa. A Nova SBE mantém a 22.ª posição na lista de MBA’s, fruto do programa The Lisbon MBA, desenvolvido em parceria com a Católica Lisbon Business & Economics. O seu mestrado em Gestão é considerado o 15.º melhor do continente, ao passo que os programas abertos formação de executivos estão na 26.ª posição.

Tal como a Nova SBE, também a escola de negócios da Universidade Católica de Lisboa melhora a sua prestação nesta lista, subindo um lugar em relação ao ano passado – é agora a 31.ª da Europa para o Financial Times. Além do The Lisbon MBA, contribuem para o resultado da Católica a avaliação que é feita do seu mestrado em Gestão, considerado do 36.º melhor da Europa, e também a composição do seu corpo docente. A Católica Lisbon é a escola de negócios mais paritária da Europa, com 47% de docentes do sexo feminino, e uma das mais internacionais, com 38% de professores estrangeiros.

Em sentido contrário, a PBS continua em queda. No ano passado tinha perdido cinco posições e este ano desce ainda mais, caindo 12 lugares. Está agora em 79.º, quase no fundo de uma lista que elenca 90 instituições de ensino europeias. Há, ainda assim, uma área em que a escola de negócios do Porto se destaca, melhorando seis posições na avaliação que é feita da sua oferta de Formação para Executivos desenvolvida à medida para empresas. Está agora no 29.º lugar nesta área.

Regista-se ainda a saída deste ranking da ISCTE Business School, que no ano passado era a 66.ª colocada, estando inclusivamente à frente da PBS.

O ranking do Financial Times continua a ser liderado pela francesa HEC Paris, que há um ano destronou a London Business School. A instituição britânica mantém-se na vice-liderança. Outra escola francesa, a Insead, subiu do 5.º ao 3.º lugar.