Eduardo Lourenço, bibliografia essencial

Sete obras para descobrir o maior ensaísta português do século XX.

Foto
DANIEL ROCHA

Heterodoxia (1949) — Foi com o “espírito da heterodoxia” que Eduardo Lourenço se estreou na publicação em livro. Na época, marcada por ortodoxias estéticas e ideológicas, a afirmação de um pensamento heterodoxo, parecendo quase um gesto juvenil, era de facto uma irrupção com alguma dose de violência e implicou uma saída do autor para fora da constelação intelectual em que estava inserido.