O estado das obrigações

Agradecer vem de graça – e é de graça. A gratidão basta-se a si própria. Não precisa de criar uma obrigação.

Cada vez que dizemos “obrigado”, o outro português diz “não tem de quê” ou só “nada”.