Sandra Tavares da Silva, Wine&Soul: “Sou fascinada por vinhas velhas”

Reconhecimento nacional e internacional não faltam a Sandra Tavares da Silva que, com o marido, se dedica ao vinho há duas décadas. “Viemos quebrar regras”, diz, criando vinhos para “dar prazer e criar emoções”.

Foto
Nelson Garrido

A propósito do artigo “Mulheres e vinho - um ponto de inflexão”, publicado este mês no Financial Times, a crítica Jancis Robinson deixava uma lista de enólogas cujo trabalho admira. Entre elas está uma portuguesa, Sandra Tavares da Silva, enóloga da Wine&Soul, projecto fundado em 2001 com o marido e também enólogo Jorge Serôdio Borges. Já este ano, na segunda edição da compilação “Onde Portugal está agora” e entre mais de 140 vinhos portugueses provados, Julia Harding dava 18 pontos (em 20) ao Pintas 2017, 17,5 aos vinhos Quinta da Manoella Vinhas Velhas 2017 e Guru Branco 2018, 17 pontos ao Pintas Character 2017 e 16,5 aos vinhos Manoella Tinto 2017, Manoella Branco 2019 e Manoella Rosé 2019.