Duas orquestras de boa saúde

A música clássica revelou estar em forma em dois concertos de orquestras sinfónicas — Gulbenkian e Metropolitana — em grandes salas de Lisboa, com programas muito bem alinhados. Cada concerto é agora um turbilhão de emoções.

covid19,cultura,orquestra-gulbenkian,orquestra-metropolitana-lisboa,culturaipsilon,musica,
Fotogaleria
António Rosado em "Concerto para piano em Sol maior" de Ravel. Ouviu-se ainda "Scheherazade" de Rimsky Korsakov. Orquestra Metropolitana de Lisboa sob direcção do maestro Adrian Leaper Marcelo Albuquerque / Metropolitana
covid19,cultura,orquestra-gulbenkian,orquestra-metropolitana-lisboa,culturaipsilon,musica,
Fotogaleria
Maestro Lorenzo Viotti dirige a Orquestra Gulbenkian na “extraordinária, quase revolucionária” obra de Bartók, "Música para cordas, percussão e celesta" Márcia Lessa/ Gulbenkian Música ,Márcia Lessa/ Gulbenkian Música

Uma noite transfigurada e uma manhã encantada: dois bons exemplos de como a música clássica vive nestes tempos difíceis. Dois concertos recentes em Lisboa, na Av. de Berna e em Belém, que revelam, cada um à sua maneira, como se estão a encontrar boas formas de fazer concertos orquestrais nas grandes instituições.