Demolições israelitas já deixaram quase 800 palestinianos sem casa em ano de pandemia

Número de pessoas sem casa este ano por acções de demolição na Cisjordânia é já o mais alto dos últimos quatro anos. Há duas semanas, houve a maior operação dos últimos dez anos.

eua,mundo,israel,cisjordania,palestina,medio-oriente,
Fotogaleria
Demolição em Jenin, uma de centenas que decorreram já este ano, apesar da covid-19 ALAA BADARNEH/EPA
eua,mundo,israel,cisjordania,palestina,medio-oriente,
Fotogaleria
ATEF SAFADI/EPA

A família Awwad conta que os tanques israelitas chegaram e lhes deram dez minutos para retirar os seus pertences de tendas e casebres. Ao relatar o que aconteceu ao diário israelita Haaretz, havia discrepâncias entre os membros da comunidade de pastores do Vale do Jordão sobre as horas exactas a que chegaram os tanques ou quantos soldados eram. Mas lembravam-se que lhes foram dados apenas dez minutos. No caos que se seguiu, ainda houve um soldado a levar um carro com três cordeiros (mais tarde, o carro estaria na lista de “veículos confiscados”), bebés a chorar, gritos de aflição. Toda aquela comunidade de pastores, 74 pessoas ao todo, incluindo 41 crianças, ficou sem sítio para dormir.