PÚBLICO actualiza o seu grafismo e apresenta novidades

Edição impressa com desenho renovado e novas secções a partir de 14 de Novembro. Coluna do provedor regressa nesse dia e haverá três novos colunistas.

jornalismo,comunicacao-social,publico,media,sociedade,imprensa-,
Foto
Alguns exemplos da nova imagem gráfica do PÚBLICO, que se estreará dia 14 DR

Os leitores da edição impressa do PÚBLICO (e os que que lhe acedem por pdf ou e-reader na edição digital) vão encontrar um jornal diferente a partir do próximo sábado, dia 14 de Novembro. Naquela que é a primeira grande renovação gráfica do jornal em oito anos, desenharam-se novas páginas, introduziram-se novas rubricas e secções, diferenciaram-se as edições do fim-de-semana e, entre outras novidades, reposicionaram-se colunas e colunistas.

Neste processo de renovação que, para a Direcção Editorial e para toda a equipa, simboliza a continuidade da aposta na edição em papel, há ainda duas novidades: o regresso da coluna do provedor do Leitor, missão entregue a José Manuel Barata-Feyo, e a entrada de Francisco Mendes da Silva, Carmen Garcia e André Lamas Leite para o painel de colunistas do jornal.

Desde que Mark Porter, designer do britânico The Guardian, alterou em parceria com a directora de Arte do PÚBLICO, Sónia Matos, a imagem gráfica do jornal, em 2007, e após uma segunda renovação empreendida já em 2012, fizeram-se apenas ligeiros ajustamentos ao modelo gráfico original. Desta vez procurou-se ir mais longe, embora sem descurar as grandes marcas da identidade do PÚBLICO. Continuará a haver um destaque diário, a organização por secções mantém-se e a aposta em textos profundos, com contexto, explicação e análise, não deixará de ser fundamental. Mas há nessa organização novos enquadramentos estéticos, com o propósito de fazer um jornal mais compacto e de leitura mais fácil e próxima do leitor; de apresentar um acontecimento, um protagonista ou uma tendência através de múltiplas perspectivas; de tentar captar com mais amplitude o que de importante aconteceu no dia anterior.

Em paralelo, há mudanças mais radicais na configuração da última página ou nas páginas do Espaço Público – para as quais transitará o Bartoon de Luís Afonso. As páginas dos roteiros serão profundamente reformuladas, com menos listagens e mais recomendações. Todos os dias haverá uma rubrica a abrir este espaço – com novas páginas dedicadas a televisão, livros, automóveis, tecnologia ou crianças.

Maiores mudanças vão notar-se nas edições de fim-de-semana. Aos sábados e domingos, a primeira página terá uma configuração diferente. Ao sábado, o plano de abertura não será o Destaque, mas uma síntese de perspectivas sobre a semana designada “Página dois”, ficando na página seguinte a coluna de António Barreto, que transita de domingo – no seu lugar aparecerá uma coluna de Carmen Garcia, enfermeira que se tem destacado pelos seus olhares sobre questões da sociedade portuguesa. Ainda no sábado, serão publicadas as colunas do provedor do Leitor e de Francisco Mendes da Silva, advogado e ex-deputado do CDS/PP. Às terças-feiras, lugar para um terceiro novo colunista: André Lamas Leite, professor da Faculdade de Direito da Universidade do Porto e presença habitual no espaço de comentário na nossa edição digital.

A Direcção Editorial do PÚBLICO acredita que estas mudanças tornarão o jornal mais completo e abrangente e, simultaneamente, mais fácil de ler. Sendo um jornal cada vez mais digital, o PÚBLICO reconhece que há ainda uma larga franja de leitores que não dispensa a visão hierarquizada e organizada do mundo que dá corpo à sua edição impressa. Daí estas mudanças e esta preocupação: estar sempre mais perto dos interesses dos seus leitores é uma prioridade do PÚBLICO.

Sugerir correcção