Sindika Dokolo: uma fundação adiada, agora com futuro mais incerto

A morte do coleccionador congolês lança nova sombra sobre o destino da casa inicialmente construída para Manoel de Oliveira e comprada por Sindika Dokolo à Câmara do Porto.

artes,culturaipsilon,eduardo-souto-moura,manoel-oliveira,republica-democratica-congo,africa,
Foto
A Fundação Sindika Dokolo adquiriu a Casa Manoel de Oliveira em hasta pública MARTIN HENRIK

O edifício que, no imaginário portuense, continua a ser designado como Casa Manoel de Oliveira – mesmo se o realizador nunca chegou a ocupá-la, acabando por optar por deixar o seu espólio à Fundação de Serralves – permanece fechado. A sede portuguesa da Fundação Sindika Dokolo (FSD) nunca abriu ao público, na verdade, e não se imagina que futuro lhe possa estar reservado, agora que o seu patrono inesperadamente morreu afogado no Dubai.