Morreu Sindika Dokolo, marido de Isabel dos Santos

O coleccionador de arte, filho do primeiro africano a fundar um banco na África Subsariana, estava a fazer mergulho subaquático no Dubai quando, por razões ainda não esclarecidas, acabou por ficar sem oxigénio e morreu afogado.

sindika-dokolo,isabel-santos,sonangol,mundo,angola,republica-democratica-congo,
Fotogaleria
Sindika Dokolo tinha 48 anos e continuava a manter uma ligação forte com o seu país, a República Democrática do Congo Fernando Veludo/Nfactos
sindika-dokolo,isabel-santos,sonangol,mundo,angola,republica-democratica-congo,
Fotogaleria
Fernando Veludo/Nfactos

O coleccionador de arte e empresário congolês Sindika Dokolo, marido da empresária angolana Isabel dos Santos, morreu esta quinta-feira no Dubai, vítima de afogamento enquanto fazia mergulho ao largo da costa do emirado. A notícia foi avançada pelos meios de comunicação congoleses e confirmada pelo assessor pessoal do Presidente da República Democrática do Congo, Michée Mulumba na sua conta do Twitter.

“Foi durante um mergulho submarino que partiste para a eternidade. Uma actividade habitual que te arrebatou do teu combate, dos teus próximos… Descansa em paz, caro Sindika Dokolo”, escreve o assessor de Félix Tshisekedi.

Na sua página de Instagram, Isabel dos Santos tem uma fotografia com o marido e o filho mais novo ao colo e duas únicas palavras “My Love”, meu amor. Na mesma página são já várias as pessoas que deixaram mensagens de condolências para a filha de José Eduardo dos Santos.

Sindika Dokolo, de 48 anos, era filho do primeiro africano a criar um banco em África, Augustin Dokolo, e continuava a manter laços muito fortes no seu país, a República Democrática do Congo, onde lutou para evitar que o ex-Presidente Joseph Kabila levasse a dele avante, tentando um terceiro mandato que a Constituição lhe vedava.

Foi condecorado pela Câmara Municipal do Porto com a medalha de ouro da cidade, na altura em levou a sua importante colecção de arte africana para ser exibida na cidade.

A Fundação Sindika Dokolo adquiriu a Casa de Manoel de Oliveira por quase 1,6 milhões de euros para aí instalar a sua sede, mas o projecto nunca saiu do papel. E depois do Luanda Leaks e das investigações à fortuna de Isabel dos Santos, já não se esperava que o mesmo viesse um dia a concretizar-se

Sugerir correcção