Dia Mundial do Património Audiovisual: pesquisar, recolher, organizar, preservar e divulgar

O dia 27 de outubro é, desde 2005, o Dia Mundial do Património Audiovisual. Para uma sociedade cada vez mais recetiva a produzir e consumir conteúdos audiovisuais (ainda que de forma rápida e nem sempre consequente), esta data reveste-se de primordial importância por proporcionar um tempo de reflexão sobre o estado do património audiovisual.

O património audiovisual de cada país é, antes de mais, uma evidente prova da sua existência. Por via de gravações áudio e vídeo, programas de rádio e televisão e, indiscutivelmente, também por via de registos de cariz cinematográfico, uma sociedade exprime e exibe para futuras gerações a sua postura social e cultural. A forma como vê o mundo, como o interpreta e como nele procura deixar uma marca.

Recolher, catalogar, preservar e disponibilizar apresentam-se verbos de primordial importância quando de património audiovisual falamos. Trata-se de pesquisar, organizar, conservar e, posteriormente divulgar os registos que anteriores gerações de indivíduos procuraram eternizar no tempo.

Portugal e os portugueses têm vindo nos últimos anos a provar uma extrema sensibilidade e vocação para a preservação do seu património de sons e imagens. Atente-se a estes dois exemplos: o meritório trabalho de recolha de “canções, rezas, responsos, benzeduras, ofícios, saber fazer, danças, músicas, estórias de vida” que Tiago Pereira e a sua equipa têm vindo a levar a cabo por via do projeto A Música Portuguesa a Gostar dela Própria e o também muito criterioso e bem fundamentado trabalho que a Cinemateca Portuguesa tem vindo a desenvolver nos últimos anos, quer ao nível da recuperação e preservação, quer ao nível da divulgação dos mais diversos registos cinematográficos.

Mas é preciso fazer mais. É preciso envolver mais instituições e coletividades para que o trabalho de preservação do património audiovisual possa continuar a fazer prova de existência de uma identidade nacional. Por via de programas de apoio nacionais ou, porventura, de proveniência europeia é necessário estimular e envolver também o movimento cultural associativo regional e local para uma sensibilidade de recolha, preservação e divulgação dos registos audiovisuais. É fundamental perpetuar os sons e as imagens das gentes, as imagens e os sons provenientes das janelas, das ruas, dos bairros, das aldeias, das vilas, das cidades, das regiões e, por soma, de um país.

É necessário encetar um trabalho ainda mais minucioso, cada vez mais interventivo e militante para que a História possa continuar a ser contada às gerações vindouras por via de sons e imagens.

O Dia Mundial do Património Audiovisual, terá de ser tudo menos mais um dia. O dia 27 de outubro tem de ser um dia de tributo a todos aqueles que atuam no terreno pela preservação do património audiovisual, mas também um dia de incitação para que a missão de pesquisar, recolher, organizar, preservar e divulgar a memória coletiva seja uma missão partilhada por um crescente número de indivíduos, coletividades e instituições públicas ou privadas.