Casamento com 200 pessoas autorizado em Arruda dos Vinhos, Câmara Municipal contesta

Autoridade de saúde deu luz verde a casamento. Autarca relembra casos de infecção e contesta decisão.

Casamento com 200 convidados está no centro da discussão
Foto
Casamento com 200 convidados está no centro da discussão Pedro Cunha (Arquivo)

O presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos criticou esta sexta-feira a decisão da autoridade de saúde de autorizar a realização de um casamento “com cerca de 200 pessoas”, considerando que vai colocar a população do concelho “em risco”.

Através de um vídeo divulgado na página da autarquia na rede social Facebook, André Rijo disse que a Câmara Municipal soube, “ao final da manhã desta sexta-feira, da realização de um casamento com cerca de 200 convidados”, durante este fim-de-semana.

O autarca acrescentou que o casamento é de “uma família do Norte” de Portugal. Esta região contabilizou mais 1516 infecções pelo novo coronavírus, do total de 2899 registadas em todo o país nas últimas 24 horas, uma tendência verificada na última semana.

“Este é um evento que nos surpreende, porque, efectivamente, estranhámos que a autoridade de saúde – ao contrário daquilo que aconteceu no caso do Curt"Arruda [Festival de Cinema de Arruda dos Vinhos], que tivemos de cancelar à última da hora –, neste caso, desde o dia 9 de Outubro emitiu um parecer favorável à realização deste casamento”, prosseguiu o edil.

André Rijo adiantou que a autoridade de saúde foi hoje confrontada sobre “esta incoerência e este erro”. Contudo, a mesma autoridade “reiterou o parecer e disse que não ia mexer” nas directrizes.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou em 14 de Outubro, juntamente com a elevação do nível de alerta para situação de calamidade em todo o país, para mitigar a propagação da pandemia, que eventos como, por exemplo, casamentos marcados a partir desse dia estavam limitados a um máximo de 50 participantes.

As regras de distanciamento físico e a utilização de equipamentos de protecção individual também é obrigatória. O parecer da autoridade de saúde em relação ao casamento em questão antecede as medidas anunciadas na última semana.

Visivelmente descontente com a resposta da autoridade sanitária, André Rijo explicitou que “isto é um motivo de grande preocupação” e vai “colocar a população do concelho de Arruda em risco”.

Por essa razão, o autarca disse que tem “o dever” de pedir aos arrudenses para evitarem circular pelas áreas da igreja matriz e do Casal da Gineta, para que o casamento “não venha a resultar num potencial foco” de contágio.

“Lamento esta decisão da autoridade de saúde, não tem minimamente a concordância da Câmara Municipal, nem do Serviço Municipal de Protecção Civil”, vincou, completando que a autarquia decidiu remeter o parecer para a Direcção-Geral da Saúde (DGS).

O autarca disse ainda, no início do vídeo de quase quatro minutos, que há 67 casos activos no concelho, 109 recuperados e quatro óbitos.

Sugerir correcção