Adriano Miranda
Foto
Adriano Miranda

A bicicleta já tem casa própria em Aveiro

Espaço criado pela Ciclaveiro albergará uma oficina comunitária, espaço de coworking e de exposições. Cidadãos são chamados a ajudar a equipar a casa.

O número 12 da Rua Cândido dos Reis, em Aveiro, tem um novo inquilino. A Casa da Bicicleta está já a instalar-se naquele espaço do centro da cidade e a preparar-se para albergar várias valências e projectos ligados à mobilidade ciclável. Por ora, ainda é tempo de arregaçar as mangas e de dar uma ajuda no recheio e decoração (está a decorrer uma campanha de crowdfunding), mas, em breve, a bicicleta ganhará casa própria. Um espaço idealizado e gerido pela Ciclaveiro – Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta, que pretende estar ao serviço da mobilidade ciclável.

O espaço da casa será ocupado por uma oficina comunitária para bicicletas, um velocowork (que acolhe já seis projectos relacionados com a bicicleta ou complementares), uma área polivalente para organizar e acolher workshops, a “veloteca” (repositório de bicicletas e acessórios com ela relacionados, para uso partilhado), uma montra para marcas e projectos, e uma galeria para divulgação de criações artísticas relacionadas com a bicicleta.

Mais do que um espaço dedicado à mobilidade ciclável, a Casa da Bicicleta pretende “servir de abrigo a ideias e iniciativas relacionadas com esta temática e inseridas nesta dinâmica, dedicada à valorização dos territórios e à construção de uma comunidade mais próxima, sustentável e resiliente”, destaca a direcção da Ciclaveiro.

Neste momento, a associação ainda ultima os preparativos da abertura da casa à comunidade – prevista para o final do mês. “Como em qualquer início de vida numa casa nova, temos um espaço ainda vazio e com uma lista grande de necessidades para a qual todos podem contribuir e com a ajuda de todos, essa lista será cada vez menor”, alertam, apelando à ajuda de todos. A partir do website da Casa da Bicicleta é possível saber quais os bens e materiais que são ainda necessários – desde material informático a caixotes de lixo – para equipar a casa. Também são aceites donativos em dinheiro (por Paypal).

Um entre vários sinais positivos

Apesar de ainda não estar oficialmente aberta ao público, a Casa da Bicicleta já tem vindo a suscitar grande interesse por parte dos adeptos da mobilidade ciclável. Ainda na passada sexta-feira recebeu o convívio dos cidadãos que apresentaram propostas ao Orçamento Participativo com Acção Directa (OPAD) do município de Aveiro, iniciativa que, saliente-se, culminou com a selecção de três projectos relacionados com a mobilidade ciclável: “Rota Segura para a Escola”, “Calhas para Bicicletas nas escadas de Aveiro” e “Bicibox Aveiro”.

A “Rota Segura para a Escola” é, como o nome indica, uma iniciativa que tem como objectivo incentivar e promover viagens a pé e de bicicleta pelos mais novos para as escolas. O projecto “Calhas para Bicicletas nas Escadas de Aveiro” pretende a colocação de escadas metálicas nas escadas existentes no espaço público da cidade, para um uso mais seguro e confortável da bicicleta. Já o “Bicibox Aveiro – Estacionamento de longa duração para bicicletas” é um projecto que propõe o reforço das infra-estruturas existentes em resposta à necessidade de parqueamento de longa duração para bicicletas, com a criação de estruturas fechadas, perto de zonas onde a intermodalidade de transpores públicos. Propostas que irão agora ser desenvolvidas pelos proponentes, em conjunto com a câmara municipal, até 16 de Abril do próximo ano.

Para Joana Ivónia, da associação Ciclaveiro, esta forte mobilização em torno do OPAD, juntamente com o interesse que a Casa da Bicicleta tem vindo a suscitar, indiciam que algo está a mudar na cidade. E para melhor. “É sinal de que as pessoas estão cada vez mais sensíveis a esta causa e que as condições para os utilizadores da bicicleta tendem a melhorar”, evidencia.

Sugerir correcção