Apoios de 25 milhões a empresas destruídas por fogos ainda estão retidos

Dos 105 milhões aprovados no programa de reposição do potencial produtivo, chegaram às empresas 80 milhões. Apoio só é pago como reembolso após empresas avançarem com investimento. Dez famílias esperam ainda por uma casa.

Fabrica Alveda Gold Paulo Pimenta
Fotogaleria
Fabrica Alveda Gold Paulo Pimenta

Após os incêndios de Outubro de 2017, que causaram 50 vítimas mortais, o Governo abriu um programa de apoio à reposição da capacidade produtiva (Repor) das empresas que registaram estragos causados pelo fogo. Um mecanismo ao qual a Exubersucesso recorreu, mas do qual ainda não recebeu qualquer montante. “Os tempos da Administração Pública não são os tempos dos negócios”, começa por explicar António Óscar, enquanto mostra no computador a cronologia. Da candidatura submetida em Setembro de 2018 à conclusão do processo, em Novembro de 2019, foi mais de um ano. O montante aprovado foi de 732,61 mil euros, mas o custo total do projecto é de 860 mil, pelo que a empresa teria de suportar a diferença, mas avançar primeiro com o investimento do qual seria mais tarde reembolsada. “Quando nos preparamos para começar a executar, em Fevereiro, levamos com os sinais da pandemia”, refere. Leia a reportagem completa aqui.

Fabrica Exubersucesso
Fabrica Exubersucesso Paulo Pimenta
Fabrica Exubersucesso
Fabrica Exubersucesso Paulo Pimenta
Fabrica Exubersucesso
Fabrica Exubersucesso Paulo Pimenta
Fabrica Exubersucesso
Fabrica Exubersucesso Paulo Pimenta
Fabrica Exubersucesso
Fabrica Exubersucesso Paulo Pimenta
Fabrica Exubersucesso
Fabrica Exubersucesso Paulo Pimenta
Fabrica Exubersucesso , António Óscar
Fabrica Exubersucesso , António Óscar Paulo Pimenta
Fabrica Alveda Gold
Fabrica Alveda Gold Paulo Pimenta