Está criada a Grande Rota da Ria de Aveiro, para percorrer a pé ou de bicicleta

Percurso estende-se por 131 quilómetros e é o primeiro de um conjunto de três a ficar pronto. Projecto pretende dar a conhecer a “melhor parcela territorial do mundo”.

ovar,bicicletas,fugas,aveiro,turismo,ambiente,
Fotogaleria
Adriano Miranda
ovar,bicicletas,fugas,aveiro,turismo,ambiente,
Fotogaleria
Nelson Garrido
ovar,bicicletas,fugas,aveiro,turismo,ambiente,
Fotogaleria
Passadiço de Aveiro Adriano Miranda

Há um novo convite para partir à descoberta das paisagens da ria de Aveiro, a pé ou de bicicleta. A Grande Rota da Ria de Aveiro tem já um dos seus percursos disponíveis, e devidamente sinalizados, envolvendo a laguna e os seus principais canais. São 131 quilómetros de trilhos para percorrer, numa aventura adaptável ao perfil e meio de transporte de cada utilizador. A este percurso (Azul) irão juntar-se, nos próximos meses, outros dois, igualmente de grande extensão: Dourado e Verde – o primeiro circundará os territórios do interior, expandindo-se para os espaços costeiros de Norte e Sul; o segundo centra-se nos territórios do interior, destacando as zonas mais montanhosas.

Na prática, esta nova proposta vem valorizar os vários investimentos que têm vindo a ser feitos na região de Aveiro   por cada um dos seus 11 municípios e também pelo programa Polis Litoral  – na criação de trilhos pedestres e cicláveis. A aposta da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) passou por interligá-los – nalguns locais foi preciso construir pequenos trilhos , criando um produto turístico integrado. Uma forma de valorizar a “melhor parcela territorial do mundo”, realçou Ribau Esteves, líder da CIRA. “O que apresentamos nesta Grande Rota não foi inventado por nós, resultou do trabalho de gerações e gerações”, enquadrou, dando nota do “equilíbrio” que “homem e natureza” sempre souberam encontrar no território lagunar aveirense.

Um percurso, várias etapas

O primeiro dos três percursos da Grande Rota da Ria de Aveiro está já devidamente sinalizado e acessível a quem o queira descobrir. A apresentação à comunicação social aconteceu esta quarta-feira, no Centro de Interpretação da Construção Naval de Pardilhó, em Estarreja, local que pretende preservar a tradição da construção naval artesanal e que é um dos vários pontos de passagem da Grande Rota.

PÚBLICO -
Foto
Esteiro da Ribeira da Aldeia, Pardilhó, Estarreja Fernando Romão

A partir do site dedicado a este novo produto turístico da ria é possível aceder ao mapa do percurso (GR 57) – recomendado a públicos que procurem a prática de actividades de bicicleta e caminhadas suaves, não oferecendo grandes desafios físicos – e a algumas sugestões de etapas. “O utilizador pode adaptar o percurso e personalizá-lo”, destacou, por seu turno, João Pardinha, da empresa IDTOUR, responsável pelo projecto.

Ovar, Murtosa, Estarreja, Aveiro, Ílhavo e Vagos são os municípios abrangidos neste percurso ao longo das margens da ria e que atravessa desde zonas de sapal a campos de cultivo   de natureza circular, o trajecto divide-se entre piso duro (asfalto, ciclovia ou ecopista) e terra batida, com alguns sectores em passadiço de madeira.

PÚBLICO -
Foto
Fernando Romão

Relativamente aos outros dois percursos, a sua inauguração deverá ocorrer em dois momentos distintos – um no final do ano e outro na Primavera de 2021  , sabendo-se já que o Dourado terá 234 quilómetros de extensão (será o maior de todos) e o Verde estender-se-á por 196 quilómetros.

Sugerir correcção