Residências universitárias: só 64 das 780 camas anunciadas pelo Governo são novas

Maioria dos lugares de alojamento contabilizados já faziam parte da oferta de alojamento estudantil pública, alguns deles há mais de uma década.

estudantes,alojamento,educacao,sociedade,ensino-superior,universidades,
Foto
Adriano Miranda

Das 780 camas que o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) garante terem reforçado a oferta de alojamento para os alunos do ensino superior, só 64 são efectivamente novas. Isto é, apenas 8% do valor anunciado – que correspondia já a menos de um terço da promessa inicial do Plano Nacional de Alojamento do Ensino Superior (PNAES). Os restantes lugares contabilizados dizem respeito a espaços que existiam e foram sujeitos a obras ou a novos equipamentos que já estavam a ser usados no ano lectivo passado.