Opinião

Portugal e o problema da corrupção – parte 3

A ida de políticos para os conselhos de administração de grandes empresas está relacionada com o nível de corrupção do país e com a importância das decisões governamentais em áreas altamente reguladas, como a energia ou as telecomunicações.

Há duas semanas, foi notícia um estudo internacional da Universidade Católica que analisou 12 mil nomeações de antigos detentores de cargos públicos para lugares em grandes empresas, em 14 países diferentes. Portugal não foi incluído, mas a conclusão é fácil de extrapolar: a ida de políticos para os conselhos de administração de grandes empresas está relacionada com o nível de corrupção do país e com a importância das decisões governamentais em áreas altamente reguladas, como a energia ou as telecomunicações.