Há um novo laboratório cívico a nascer em Aveiro e quer chegar a todo o concelho

O Cidadania Lab é uma das propostas candidatas ao Orçamento Participativo com Acção Directa do município de Aveiro. Também há projectos para ocupar e dinamizar o espaço público.

O laboratório Cívico de Santiago abriu caminho a novos projectos
Foto
O laboratório Cívico de Santiago abriu caminho a novos projectos Adriano Miranda

Depois da experiência pioneira promovida no bairro de Santiago, Aveiro volta a estar na linha da frente em matéria de participação cívica: acaba de ver nascer aquele que é, em Portugal, o primeiro laboratório cidadão municipal criado a partir da iniciativa da comunidade. Chama-se Cidadania Lab e tem já um programa de actividades bem definido. Acima de tudo, quer ser um laboratório de “aprendizagem colectiva, experimentação e participação dos cidadãos na vida da cidade e nas decisões políticas que afectam as suas vidas”.

A criação deste novo laboratório cívico surgiu no âmbito do grupo Vizinhos de Aveiro, criado durante a pandemia Covid19, e fruto da experiência que alguns elementos daquele colectivo já haviam adquirido noutras iniciativas de participação cívica - como o Laboratório Cívico de Santiago, Vivó Bairro, VivaCidade ou o Aveiro Soup, entre outros. Lançada a chamada para a apresentação de propostas ao Orçamento Participativo com Acção Directa (OPAD) do município de Aveiro, vários aveirenses decidem, então, lançar as sementes para a criação de um laboratório cívico à escala municipal (a abranger as dez freguesias do concelho).

O objectivo passa por “apoiar e promover a participação dos cidadãos na vida da cidade” e “contribuir para uma democracia participativa em que os cidadãos abordam e discutem publicamente os problemas e desafios da comunidade para encontrarem soluções mais eficazes”. O grupo de trabalho tem já previstas várias acções, entre workshops e sessões de trabalho. “Conversas Itinerantes de Vizinhos”, “Nos Sapatos do Administrador”, “Pensar a Cidade”, “Mapa de Necessidades na nossa Cidade”, “Participamos”, “Um Dia no Lugar de um Político” e “Dos 8 aos 88”, são algumas das iniciativas previstas.

Ainda em fase de lançamento, o Cidadania Lab quer ser “um projecto para todos os aveirenses”, realça Alexandra Ataíde, uma das dinamizadoras do projecto – os cidadãos estão já a ser desafiados a acompanhar e a fazer parte desta iniciativa. Por ora, o grupo aposta todas as fichas na candidatura ao OPAD, com a certeza de que “mesmo que não seja um dos vencedores, o projecto irá avançar”, acrescentou aquela responsável. Não obstante, “seria importante realizá-lo em conjunto com a autarquia”, realçou.

Fechar e ocupar as ruas

Entre as propostas apresentadas ao OPAD estão, também, projectos como o “Kit A Nossa Rua” ou o “Aveiro Parklet - uma micro praça em cada rua”. O primeiro consiste na disponibilização aos cidadãos de um ‘kit’ constituído por um conjunto de bancos, mesas, floreiras, equipamentos de som, materiais de desenho, jogos infantis diversos e uma bicicleta eléctrica com atrelado para os transportar. O objectivo é encerrar temporariamente ao trânsito automóvel ruas, largos ou praças pelo município de Aveiro, onde se dinamizarão actividades lúdicas e de convívio social, respeitando as regras de distanciamento físico, abertas a todos os que queriam participar, combinadas previamente em encontros com os moradores e comerciantes.

Já o “Aveiro Parklet” pretende proporcionar aos cidadãos aveirenses “o usufruto seguro, cómodo e confortável das novas tendências de ocupação do espaço urbano”. “Os ‘parklets’ fazem parte da solução, dado que proporcionam espaços de encontro e convívio na rua, induzem a uma maior interacção social, capaz de estabelecer laços e relações de vizinhança e consequentemente, aumentar a segurança e sentido de bairro”, destacam os promotores do projecto.

Também há uma proposta para realizar um “Feirão de Bicla na Mão”, um evento de animação local, a acontecer numa rua, largo, ou praça do município. Recorrendo a de bicicletas de carga, com caixa que será pintada por artistas, este “feirão” leva a arte local ao encontro dos cidadãos, ao mesmo tempo que promove a mobilidade suave e a solidariedade social. Cada caixa de carga irá funcionar como um “ecoponto social”, angariando bens para fins de beneficência.

Os projectos candidatos ao OPAD vão ser conhecidos, na sua totalidade, na próxima semana. A votação irá decorrer entre os dias 1 e 30 de Setembro. O anúncio público dos projectos vencedores está previsto para 8 de Outubro.

Sugerir correcção