Questionário de Proust

David Marçal: “Snowden é o vivo que mais admiro”

O biólogo e divulgador de ciência gosta do que faz e não tem medos. “O medo limita-nos muito”, diz. O que menos gosta em si são os óculos, mas tem “pouca paciência” para lentes de contacto.

impar,cultura,edward-snowden,vih,literatura,investigacao-cientifica,
Foto
Rui Gaudêncio

Qual a sua ideia de felicidade perfeita?
Não tenho. A ideia de “felicidade perfeita” é meio caminho andado para uma vida perfeitamente infeliz.