André Murraças olha para a homossexualidade na Alemanha nazi

Com objectos, fotografias e filmes, André Murraças constrói as linhas da dramaturgia de O Triângulo Cor-de-Rosa, que sobe ao palco do Teatro do Bairro, em Lisboa.

marionetas,homossexualidade,teatro,culturaipsilon,lisboa,alemanha,
Fotogaleria
cortesia alipio padilha
marionetas,homossexualidade,teatro,culturaipsilon,lisboa,alemanha,
Fotogaleria
cortesia alipio padilha
marionetas,homossexualidade,teatro,culturaipsilon,lisboa,alemanha,
Fotogaleria
cortesia alipio padilha

André Murraças interessa-se pelas histórias não contadas do mundo queer. “É uma das muitas coisas de que gosto”, explica ao telefone com o PÚBLICO — em 2018 foi responsável pelo Queerquivo, um arquivo LGBT português. Desta feita, olha para as histórias da homossexualidade na Alemanha antes e depois da Segunda Guerra Mundial num novo espectáculo a solo. Chama-se O Triângulo Cor-de-Rosa e subirá ao palco do Teatro do Bairro, em Lisboa, de quinta a sábado às 21h30 e no domingo às 19h, como parte do programa do Descon'FIMFA, a edição deste ano, a 20.ª, do Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas, que arrancou a 5 de Agosto.