Casos continuam a aumentar, mas pandemia está a desacelerar em Lisboa e Vale do Tejo

Junho foi o mês em que a epidemia mais cresceu em Lisboa e Vale do Tejo. Apesar de os casos terem continuado a aumentar com alguma “inconstância” em Julho, a pandemia parece estar agora a dar tréguas à região que mais preocupou as autoridades nas últimas semanas, tanto que o Governo admitiu, esta segunda-feira, vir a retirar, em breve, as freguesias da situação de calamidade.

Depois de Junho ultrapassado, o mês mais difícil quando olhamos para os novos casos de covid-19, os valores diários de infecção na região de Lisboa e Vale do Tejo parecem estar a desacelerar. Há precisamente um mês, a 27 de Junho, dois dias depois de serem anunciadas restrições para as 19 freguesias em situação de calamidade e para a restante Área Metropolitana de Lisboa (AML), Lisboa e Vale do Tejo tinha 18.361 casos confirmados, o que significa que até esta segunda-feira, quase um mês depois de as medidas entrarem efectivamente em vigor, o número de infecções na região cresceu 39%.