Loures põe funcionários a contar autocarros para garantir que passam todos

Reunião de Bernardino Soares com António Costa terminou com a certeza de que o concelho apresenta dados animadores, mas que ainda é cedo para levantar medidas restritivas.

Foto
LUSA/MANUEL DE ALMEIDA

Para se certificar que as carreiras de autocarros estão a passar com a regularidade e a pontualidade devidas, a Câmara de Loures vai montar um sistema de fiscalização nos próximos dias que consiste em “colocar técnicos da autarquia nas paragens a contar autocarros”.

A revelação foi feita esta sexta-feira por Bernardino Soares à saída de uma reunião com o primeiro-ministro e a ministra da Saúde para avaliar a situação pandémica no concelho.

O autarca foi uma das vozes que mais clamou pelo reforço dos níveis de serviço dos transportes públicos a seguir ao confinamento e diz que, agora que a oferta chegou a 90% do que existia antes da pandemia, é preciso fazer uma monitorização constante. “Estamos a analisar qual é a aplicação no terreno, se as operadoras estão a cumprir. E em certos casos estamos a ver se é preciso ainda ir além dos 90%”, afirmou o presidente da câmara. “Isto é para percebermos, sobretudo nas horas de ponta, onde há maiores concentrações, nos pontos que sabemos serem os mais sensíveis”, disse.

Ao fim de duas semanas em que duas freguesias de Loures se mantiveram em estado de calamidade, Bernardino disse que “os dados são animadores” porque “o número de casos activos diminuiu” e foi possível dominar os focos localizados. “São animadores mas não o suficiente para nos deixar descansados”, realçou, dando respaldo à opinião de António Costa de que as regras específicas para as 19 freguesias se devem manter. A decisão final será conhecida na segunda-feira.

O primeiro-ministro afirmou que “as medidas estão a provar ser adequadas” e que “seria prematuro neste momento estar a aligeirar”. António Costa elogiou sobretudo o trabalho das equipas multidisciplinares que têm contactado todos os infectados, através das quais se conseguiu “estabilizar o aparecimento de novos focos”.

Bernardino Soares sublinhou que estas equipas funcionam em Loures “desde o início de Junho”, antes mesmo de o estado de calamidade ser prolongado nas 19 freguesias, e que vai ser preciso “manter este esforço durante muito tempo ainda”. O autarca está sobretudo preocupado com o cansaço dos técnicos que integram estas equipas. “A preocupação não é só para este período do Verão mas para o estado em que vamos estar no Outono. Precisamos que as equipas cheguem a Setembro em boas condições.” António Costa comprometeu-se a “reforçar as equipas”.

Em Loures havia 453 casos activos de covid-19 na quinta-feira, 17 deles em lares. Neste momento há 10 pessoas alojadas fora de casa por não terem condições de fazer o confinamento na sua habitação.