Investigação

Projecto pioneiro não serviu para nada e custou meio milhão de euros à Diocese de Beja

Os 438 mil euros recebidos da União Europeia tiveram de ser devolvidos e o departamento responsável foi extinto sem explicação. Técnico da Direcção-Geral do Património Cultural que o dirigia criou, com a sua mulher, duas empresas que cobraram centenas de milhares de euros à igreja. Bispo garante que não sabia de nada.

direccaogeral-patrimonio-cultural,beja,igreja-catolica,patrimonio,culturaipsilon,musica,
Foto
Uma das 150 peças da exposição As Formas do Espírito, que José António Falcão comissariou em 2003, ao serviço da Diocese de Beja DANIEL ROCHA

Um projecto de inventariação do património religioso apontado como modelo de sucesso nos anos 2000 revelou-se um fracasso e custou mais de 500 mil euros à Diocese de Beja. Do trabalho pago e dos equipamentos adquiridos para criar uma base de dados e um museu virtual pouco ou nada ficou, garantem os responsáveis eclesiásticos.