“É impossível imaginar Trump a aceitar uma derrota nas eleições”

Lawrence Douglas, professor de Direito na universidade norte-americana de Amherst, autor do livro Will he go?, diz que as probabilidades de Trump não reconhecer uma derrota “são de dez em dez” e vai mergulhar o país numa crise de sucessão sem paralelo em 231 anos de História.

O Presidente norte-americano tem dito, sem provas, que a votação por correspondência é fraudulenta
Foto
O Presidente norte-americano tem dito, sem provas, que a votação por correspondência é fraudulenta Reuters/Lucas Jackson

Não há memória de uma época em que a transição de poder na Casa Branca tenha sido posta em causa por um Presidente decidido a não reconhecer uma derrota nas eleições. Foi a pensar nesse cenário que Lawrence Douglas, professor de Direito e Jurisprudência na universidade norte-americana de Amherst, decidiu ir à procura de respostas para uma pergunta que seria pouco mais do que um exercício académico antes da Presidência Trump. O resultado é Will he go? (Será que ele vai sair?), um livro que foi recebido como um sinal de alarme. Depois de o ler, a jornalista Elizabeth Kolbert, vencedora de um Pulitzer, chegou a uma conclusão inquietante: “Não é claro que a democracia americana sobreviva a uma reeleição de Trump, e também não é claro que sobreviva se ele não for reeleito.” Em conversa com o PÚBLICO, o autor afirma que após as presidenciais de 3 de Novembro Trump vai mergulhar o país numa crise de sucessão sem paralelo em 231 anos de História se as eleições terminarem num cenário “altamente provável”: a derrota do Presidente norte-americano por uma curta margem em dois ou três estados decisivos.