Adiada a estreia de Tenet, o filme que iria acordar o negócio do cinema

O mais ambicioso filme de Christopher Nolan, segundo o próprio, chegará agora às salas americanas não a 17 de Julho mas a 31.

Foto

A Warner Bros. adiou duas semanas, de 17 para 31 de Julho, a estreia de Tenet, de Christopher Nolan. O estúdio reorganiza o seu calendário de lançamentos ainda em plena pandemia covid-19 e é nessa sequência, segundo a IndieWire, que viram também alterado o calendário de chegada aos espectadores títulos como Wonder Woman 1984 (para o início de 2021) e a sequela de Matrix.

São apenas duas semanas, no caso de Nolan, mas, face às expectativas que os distribuidores depositam nesse filme de espionagem (e também filme de viagem no tempo e ainda filme de...), é um adiamento do regresso ao negócio. Recorde-se que em Portugal houve quem se manifestasse contra a abertura das salas a 1 de Junho, propondo em vez o mês de Julho, por supostamente não haver filmes - queriam dizer: por não haver sucessos comerciais programados pelos estúdios americanos, que continuam a decidir o que acontece nas cadeias de multiplexes de todo o mundo. E não era por acaso que se propunha Julho: vinha aí Tenet. Agora, pelos vistos, só mais próximo de Agosto. Nas salas americanas, a Warner Bros. vai lançar, na data inicialmente prevista para Tenet, Inception, regresso de um anterior filme do realizador, 10 anos depois da estreia.

Segundo a IndieWire, Nolan tinha o filme pronto para ser lançado a 17 de Julho em sala, ele que é um defensor da experiência em frente ao ecrã grande e se impusera à Warner Bros. com quem trabalha desde Insomnia (2002) e para onde fez a trilogia Dark Knight, Inception e Dunkirk: que nem pensasse em lançá-lo em plataformas online. Esperava só a confirmação da reabertura do circuito americano: no dia 17 de Julho estaria praticamente sozinho em todos os ecrãs como um novo filme. Mas se as salas da California têm autorização para abrir nessa data, só o poderão fazer observando as regras de saúde que impõem limitações à lotação; e cabendo aos exibidores decidir se estão prontos para enfrentar nesses termos o negócio, nem todos, na importante área de Los Angeles, estarão. O negócio ainda não está pronto, entende-se, para facturar. Daí o adiamento.

É o filme que Nolan já disse ser o maior da sua carreira, reiterando a proeza como alimento do que faz. Em entrevista à Entertainment Weekly em Dezembro revelava que Tenet passa do ponto de vista do género de espionagem para “uma série de outros lugares”, atravessando “vários géneros”. Filmado em sete países, “por todo o lado, com um cast enorme”, sabe-se para já que nele John David Washington e Robert Pattinson são detectives que manipulam o tempo para resolverem os seus casos. O filme conta ainda com interpretações de Elizabeth Debicki, Aaron Taylor-Johnson, Michael Caine, Clemence Poesy e Kenneth Branagh.