Ainda há muito para aprender com Charles Dickens, 150 anos depois da sua morte

Reconhecido universalmente como um dos maiores nomes da história da literatura ocidental, o legado do escritor britânico que morreu a 9 de Junho de 1870 é inegável. A académica Isabel Pires de Lima e o cineasta João Botelho explicam por que é que a sua obra, tão ancorada na sociedade vitoriana, continua a atrair leitores.

Foto
Public Domain Pictures

O que é que Oliver Twist, Sam Weller ou Ebenezer Scrooge têm em comum? Além de serem algumas das personagens mais marcantes da literatura ocidental, têm também o mesmo “pai”, o escritor britânico Charles Dickens, cuja obra, 150 anos após a sua morte, mantém uma influência que ultrapassa vastamente a Inglaterra e parece mostrar-se tão relevante e popular como quando foi escrita.