Dominic Cummings: estratego sem escrúpulos e indispensável para Johnson

Primeiro-ministro britânico resiste à pressão para demitir o seu principal assessor, que violou o confinamento. Confiança em Cummings começou no referendo do “Brexit” e tornou-se incondicional nas legislativas de 2019. Pandemia redefiniu a sua missão.

boris-johnson,brexit,mundo,uniao-europeia,reino-unido,europa,
Fotogaleria
Protestos em frente à casa de Cummings têm sido constantes EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA
boris-johnson,brexit,mundo,uniao-europeia,reino-unido,europa,
Fotogaleria
Cummings e Johnson caricaturados numa manifestação anti-"Brexit" EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA
boris-johnson,brexit,mundo,uniao-europeia,reino-unido,europa,
Fotogaleria
Dominic Cummings, à porta do nº 10 de Downing Street Reuters/HENRY NICHOLLS
boris-johnson,brexit,mundo,uniao-europeia,reino-unido,europa,
Fotogaleria
Um apoiante de Dominic Cummings Reuters/HENRY NICHOLLS
Boris Johnson
Fotogaleria
Cummings é uma figura divisiva, e é conhecido pelos métodos pouco convencionais EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

A novela em torno das viagens de Dominic Cummings por Inglaterra, em Março e Abril, violando as ordens de confinamento decretadas pelo Governo britânico, no âmbito da contenção do coronavírus no Reino Unido, está a deixar Boris Johnson e o seu círculo próximo mais isolados do que nunca na defesa do assessor. Mas apesar das críticas vindas de todas as direcções do espectro político britânico, incluindo do campo conservador, e da queda de popularidade do executivo resultante da polémica, o primeiro-ministro não faz tenções de deixar cair o seu principal conselheiro. Pelo menos para já.