INEM transfere helicóptero de Viseu para Loures e fica sem base na região Centro

Aeronave tinha saído em Outubro de 2019 do heliporto de Santa Comba Dão para o Aeródromo Municipal de Viseu, devido à falta de condições para operações de emergência médica, mas “a solução encontrada era limitada no tempo”. INEM fica temporariamente sem um helicóptero na região Centro, mas garante que cobertura é assegurada pelos aparelhos de Macedo de Cavaleiros e de Salemas.

Helicóptero do INEM
Foto
O helicóptero do INEM na região Centro estava no Aeródromo Municipal de Viseu desde Outubro, devido à falta de certificação do Heliporto de Santa Comba Dão Daniel Rocha

O helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) que está colocado no Aeródromo Municipal de Viseu vai ser transferido na quinta-feira, 4 de Junho, para o Heliporto de Salemas, em Loures, foi anunciado esta segunda-feira.

A utilização do aeródromo de Viseu tinha sido assumida como temporária, até se resolverem os problemas com o Heliporto de Santa Comba Dão. Mas a situação acabou por não ficar ainda resolvida e o helicóptero passa para Loures. Ao PÚBLICO, o INEM sublinhou o facto de ser uma “relocalização temporária” que se prevê estar resolvida a curto prazo e expressou a vontade de “ter um helicóptero na região Centro” por ser a “localização adequada” para assegurar a melhor cobertura possível de todo o território.

A aeronave vai ficar em Salemas “até que seja implementada uma solução definitiva que permita a certificação do Heliporto de Santa Comba Dão como Base Permanente”, explica o INEM em comunicado. O INEM adianta que esta solução está “a ser trabalhada entre as entidades responsáveis, tendo sido garantido ao INEM a criação das condições necessárias para a Certificação do Heliporto irá acontecer num curto espaço de tempo.”

A mudança para Salemas é feita “de forma a manter a operacionalidade deste meio aéreo, sempre no cumprimento estrito de todos os requisitos e normas aplicáveis à operação aeronáutica”, de acordo com o comunicado.

Apesar disso, o instituto garante que a cobertura continua a estar assegurada em toda região Centro, tanto pelo helicóptero de Macedo de Cavaleiros como pelo de Salemas. Além destas duas aeronaves, há ainda uma sediada em Évora e outra em Loulé.

O helicóptero estava sediado no distrito de Viseu desde Outubro do ano passado, quando o instituto foi notificado que teria de “suspender imediatamente a sua actividade” no Heliporto de Santa Comba Dão, uma vez que a infra-estrutura “não estava certificada como Base Permanente para Emergência Médica. A decisão foi comunicada pela empresa Babock, responsável pela gestão da operação, aeronavegabilidade permanente e manutenção do Serviço de Helicópteros de Emergência Médica (SHEM) do INEM.

Na altura, o INEM transferiu de imediato o helicóptero para o Aeródromo Municipal de Viseu, ciente de que “a solução encontrada era limitada no tempo”. A saída do Aeródromo Municipal de Viseu deve-se ao facto de estar a terminar o “limite temporal definido” na altura da mudança.

As condições da operação do INEM em Viseu foram garantidas pela empresa IFA – Aviation Training Center, a quem o instituto deixa “uma palavra de agradecimento”, que aceitou ceder as suas instalações “o máximo de tempo que era possível, inclusivamente com prejuízo da sua própria actividade​ para essa utilização”. 

Sugerir correcção