Investigadores portugueses estudam casos graves de covid-19 com lesões no coração

Dois hospitais portugueses estudam a forma como o coração é afectado pelo vírus SARS-CoV-2. Para além da dura rotina das unidades de cuidados intensivos, fazem-se autópsias, ecocardiografias, procuram-se biomarcadores para perceber as várias lesões que chegam a afectar 50% desses doentes.

Cerca de um terço dos doentes graves de covid-19 parece sofrer de lesões cardíacas, constatou o médico Roberto Roncon, coordenador de uma unidade de cuidados intensivos do Hospital de São João, no Porto, em mais de dois meses de contacto com a infecção.