Cantor André Viamonte responde à pandemia com uma canção: Aqui

O cantor e compositor André Viamonte estreia esta sexta-feira uma canção “feita em contexto onde o medo tenta predominar devido a um vírus que invadiu o nosso quotidiano”. Com dois álbuns gravados, VIA (2016) e MONTE (2019), esta nova canção, Aqui, foi composta e gravada durante a pandemia da covid-19 e alude, segundo ele, a um “momento lamentável e dramático” em que “a cultura está em risco” e em que “as pessoas lutam por se manterem sanas e outras por sobreviver.” Um momento que é também, acrescenta, “de grande solidariedade e de compaixão.”

Nascido em Zurique, na Suíça, em 1983, filho de emigrantes, André Viamonte viveu depois em Singen, uma cidade do Sul da Alemanha, crescendo a ouvir diferentes sonoridades e culturas musicais, do folclore português ao fado, à ópera, ao jazz, à bossa nova, até vozes búlgaras. Começou aos 5 anos com aulas de canto e de representação em Zurique, descobrindo assim, diz a sua biografia, “o gosto pela música e pelo canto”. Aos 10 anos, utilizando a voz como instrumento principal, já compunha os seus primeiros temas, acabando por firmar aos 22 anos, e já em Portugal, um lugar próprio na música, ao mesmo tempo que, em 2013, em Lisboa, se formava em musicoterapia.

O seu primeiro álbum teve participações de Fernando Girão, Teresa Lopes Alves e Myriam Madzalik, enquanto o segundo, masterizado em Londres nos estúdios Abbey Road pelo produtor Alex Wharton (que trabalhou com músicos como Paul McCartney, The Pixies, Gilberto Gil, St. Germain, Radiohead, Massive Attack ou Coldplay), tem participações de Eunice Muñoz, Beatriz Nunes (Madredeus), do rapper B-Leza, de Ashwinder Nippy e do Gospel Choir de Coimbra.

Sugerir correcção