violencia,jovens,violencia-domestica,sociedade,crime,justica,
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
violencia,jovens,violencia-domestica,sociedade,crime,justica,
Fotogaleria

Quando o conhecimento da lei é uma arma de “terrorismo íntimo”

Um inquérito sobre violência no namoro em contexto universitário surpreendeu os investigadores pela negativa. Relações de intimidade podem acabar em perseguição de quem quis terminar. Análise no segundo capítulo da série Violência Doméstica no Banco dos Réus.

A violência conjugal é transversal a todos os estratos sociais e faixas etárias, lembra Rui Abrunhosa Gonçalves, psicólogo forense. Nas classes média e alta “tende a ser muito mais psicológica e verbal do que física”, diz. “Mas a essência é a mesma: alguém que tem imenso poder e controlo na relação de intimidade.”