Covid-19 deixou 80 milhões de crianças sem vacinas e em risco de outras doenças

Campanhas de vacinação contra o sarampo e a poliomielite foram particularmente prejudicadas devido à covid-19. Organizações pedem que vacinação seja retomada o mais rapidamente possível. Caso contrário, corre-se o risco de “trocar um surto mortal por outro”.

surto,poliomielite,mundo,africa,unicef,vacinas,
Foto
Vacinação contra a poliomielite está suspensa em 38 países Reuters/ELOISA LOPEZ

A pandemia de covid-19 levou a uma interrupção substancial nas campanhas de vacinação de crianças em todo o mundo, o que pode levar à propagação de outras doenças infecciosas como a difteria, o sarampo e a poliomielite. Se nada for feito para retomar os programas de vacinação, cerca de 80 milhões de crianças com menos de um ano estão em risco.

O alerta é dado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a Unicef e a GAVI, Aliança de Vacinas. As três organizações referem que, desde o início da pandemia de covid-19, as campanhas de vacinação foram prejudicadas em pelo menos 68 países, numa dimensão “sem precedentes”. Esta é, segundo a OMS, a maior quebra nos programas de imunização desde 1970.

“A interrupção dos programas de imunização causada pela pandemia de covid-19 ameaça desintegrar décadas de progresso na luta contra doenças que podem ser prevenidas pela vacinação, como o sarampo”, alertou Tedros Adhanom Ghebreyesus, director-geral da OMS.

Esta alerta serve para lançar a Cimeira Mundial das Vacinas, a 4 de Junho, no qual líderes mundiais vão tentar angariar, por videoconferência, pelo menos 7,4 mil milhões de dólares para a GAVI destinados a proteger 300 milhões de crianças em 68 países entre 2021 e 2015. 

“Mais crianças em mais países estão protegidas contra doenças que podem ser prevenidas através da vacinação”, afirmou o director da GAVISeth Berkley. No entanto, “devido à covid-19, esse imenso progresso está em risco”. “Embora as circunstâncias possam exigir uma pausa temporária nos esforços de imunização, estes devem ser reiniciados o mais rapidamente possível, ou corremos o risco de trocar um surto mortal por outro”, acrescentou Henrietta Fore, directora da Unicef.

As campanhas de vacinação contra o sarampo e a poliomielite foram particularmente prejudicadas. De acordo com o relatório, a vacinação contra o sarampo foi suspensa em 27 países, enquanto a vacinação contra a poliomielite está suspensa em 38.

No final de Março, preocupada com a possibilidade de as campanhas de vacinação aumentarem o número de casos de covid-19, a OMS recomendou que que os países suspendessem temporariamente algumas campanhas de vacinação, como é o caso da suspensão da campanha de vacinação contra a poliomielite em África, enquanto a organização trabalhava num conjunto de medidas para reduzir o risco de contágio, que serão reveladas na próxima semana. 

Sugerir correcção