Centros de actividades reabrem, mas deficientes que moram em lares vão ficar à parte

Durante a pandemia, nas unidades residenciais foram infectadas 192 pessoas com deficiência – 119 recuperaram, oito morreram. Governo equipara-as aos idosos dos lares, que só podem receber uma visita semanal.

Foto
ENRIC VIVES-RUBIO

Ana Perro ameaça ir para a porta do Palácio de Belém, se o filho se mantiver “muito mais tempo confinado” ao lar residencial. Não lhe parece que Francisco, que tem autismo, vá perceber a razão pela qual não pode sair quando, mesmo ao lado, entram e saem os colegas do Centro de Actividades Ocupacionais (CAO) que vivem com as suas famílias.