Pai admitiu ao juiz que agrediu Valentina mas que nunca teve intenção de a matar

Progenitor e madrasta ficam em prisão preventiva por estarem “fortemente indiciados” de homicídio qualificado e é-lhes também atribuído o crime de ocultação de cadáver.

Foto
Sandro Bernardo, pai de Valentina, está detido na prisão da Policia Judiciária de Lisboa. Nuno Ferreira Santos

O pai de Valentina, a menina de nove anos que foi encontrada morta no domingo, num eucaliptal em Peniche, terá admitido ao juiz que agrediu a filha. Foi a 1 de Maio, disse Sandro Bernardo, porque queria saber se ela era ou não vítima de abusos sexuais ou se estaria a ter essas práticas com outros meninos, revelou ao PÚBLICO fonte judicial. O juiz decidiu esta quarta-feira que o pai e a madrasta da criança ficam a aguardar julgamento em prisão preventiva.