Para Cabo Verde, “2020 será praticamente um ano perdido”, diz primeiro-ministro

Ulisses Correia e Silva está preocupado com os níveis de transmissão do coronavírus na capital e com o impacto económico da covid-19. Diz que o PIB cabo-verdiano pode cair mais que 5,5% e que o desemprego vai aumentar para 18%, mas não acha que isso irá aumentar a emigração.

Foto
Ulisses Correia e Silva: "Vamos entrar numa recessão, a taxa de desemprego pode chegar a 18%" JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, reuniu esta terça-feira com o Presidente Jorge Carlos Fonseca para decidir se o estado de emergência por causa da pandemia da covid-19 é prolongado nas ilhas de Santiago e Boa Vista para lá desta quinta-feira, que é quando termina o actual decreto. Em entrevista ao PÚBLICO, esta terça-feira, o chefe de Governo dizia que tudo estava em aberto.