Trump abandona conferência de imprensa após discussão com jornalista americana de origem chinesa

Presidente dos EUA sugeriu à correspondente da CBS na Casa Branca, Weijia Jiang, que fizesse a sua pergunta à China. Insistência da jornalista da CNN para que a colega terminasse a sua intervenção levou Trump a concluir a conferência de imprensa.

Em Abril, o Presidente Trump disse a Weijia Jiang para "falar mais baixo"
Foto
Em Abril, o Presidente Trump disse a Weijia Jiang para "falar mais baixo" Reuters/KEVIN LAMARQUE

O Presidente norte-americano, Donald Trump, abandonou a conferência de imprensa de segunda-feira, na Casa Branca, depois de sugerir a uma jornalista de origem chinesa que dirigisse à China a sua pergunta sobre a realização de testes à covid-19 nos Estados Unidos.

Weijia Jiang, uma repórter norte-americana do canal de televisão CBS nascida na China e que emigrou para os Estados Unidos com os seus pais aos dois anos de idade, questionou Trump sobre a sua insistência em salientar o número de testes realizados no país.

“Refere muitas vezes que os Estados Unidos estão a fazer um trabalho muito melhor do que qualquer outro país no que diz respeito aos testes”, disse a jornalista. “Porque é que isso importa?”, questionou. “Porque é que olha para isto como uma competição global, quando todos os dias os americanos continuam a perder as suas vidas e continuamos a ter mais casos a cada dia que passa?”

Na resposta, o Presidente norte-americano disse que “há pessoas a perder as suas vidas em todo o mundo”.

“Talvez devesse fazer essa pergunta à China”, sugeriu Trump à jornalista. “Não me pergunte a mim, pergunte à China. Quando lhes fizer essa pergunta, talvez receba uma resposta muito invulgar.”

Em seguida, o Presidente norte-americano apontou para a jornalista que estava atrás de Weijia Jiang, a correspondente da CNN Kaitlan Collins, pedindo-lhe que fizesse outra pergunta. Mas a repórter da CBS reagiu: “Porque é que me fez essa pergunta a mim, especificamente, sobre a China?”

“Não estou a dizer-lhe especificamente a si, digo-o a qualquer pessoa que me faça uma pergunta desagradável”, respondeu o Presidente norte-americano.

Ao ver que a correspondente da CNN permitira que Weijia Jiang fizesse uma segunda pergunta antes de ela própria tomar a palavra, Donald Trump recusou-se a responder a Kaitlan Collins e passou à jornalista seguinte, Yamiche Alcindor, do canal público PBS.

Donald Trump deu por concluída a conferência de imprensa e abandonou os jardins da Casa Branca quando a jornalista Yamiche Alcindor também quis esperar que a sua colega da CNN fizesse uma pergunta.

Mais tarde, através do Twitter, Weijia Jiang agradeceu e elogiou o comportamento das suas colegas.

Não é a primeira vez que o Presidente norte-americano protagoniza momentos de tensão com Weijia Jiang e com Kaitlan Collins nas conferências de imprensa na Casa Branca sobre a resposta dos EUA à pandemia da covid-19.

Em Abril, Trump disse à jornalista da CBS para “falar mais baixo” no seguimento de uma pergunta sobre a resposta inicial da Casa Branca à pandemia. E, numa outra conferência de imprensa, o Presidente norte-americano disse à jornalista da CNN para parar de falar com ele, acusando o canal de transmitir informações falsas.

Também em Abril, a Casa Branca tentou obrigar a jornalista da CNN a sentar-se várias filas atrás do lugar que lhe foi atribuído nas conferências de imprensa – uma competência exclusiva da Associação de Correspondentes da Casa Branca e não da Administração norte-americana.

Perante a recusa do jornalista com quem a troca teria de ser feita, a quem foi dito que a instrução tinha partido dos Serviços Secretos, a Casa Branca deixou cair a ideia e Kaitlan Collins manteve o seu lugar nas conferências de imprensa.

Sugerir correcção