Ucraniano esteve 15 horas manietado numa sala. Enfermeiro diz que avisou SEF para o levarem ao hospital

O cidadão ucraniano que morreu no SEF do aeroporto esteve 15 horas manietado com fita-cola e algemas. Foi visto assim por enfermeiros, inspectores, chefes. Ficou numa sala, preso, durante horas, com calças pelos joelhos e cheiro a urina. Médico que passou óbito não viu agressões e deu-a como morte natural. Auto de óbito do SEF também não refere qualquer lesão.

servico-estrangeiros-fronteiras,aeroporto-lisboa,imigracao,sociedade,crime,justica,
Foto
DR

Ihor Homenyuk, o ucraniano que morreu no Centro de Instalação Temporária (CIT) do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras  (SEF) do Aeroporto de Lisboa, esteve manietado, numa sala, durante 15 horas, de várias maneiras: com fita-cola, ligaduras e algemas de metal.