Novo Banco: Costa falava de auditoria prévia, BE de auditoria posterior

Uma falha de comunicação do Ministério das Finanças ao gabinete do primeiro-ministro e a existência de dois níveis de auditorias estabeleceu a confusão.

Foto
António Costa e Mário Centeno estiveram descordenados em relação ao Novo Banco LUSA/MIGUEL A. LOPES

A aparente iminência de crise entre o primeiro-ministro, António Costa, e o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno, afinal não terá passado de uma falha de comunicação, a tempo do debate quinzenal de quinta-feira, por parte do segundo, e por uma confusão, por parte do primeiro, sobre os níveis de auditoria a que as injecções anuais de capital no Novo Banco estão sujeitas por lei, de acordo com as informações recolhidas pelo PÚBLICO junto de vários membros do Governo.