Ajudas públicas à aviação dão força ao comboio

França e Áustria fazem depender os apoios estatais às suas companhias de bandeira da redução de voos de curta distância, para dar oportunidade ao modo ferroviário.

Foto
Reuters/Charles Platiau

As companhias aéreas vão precisar do dinheiro dos contribuintes para poderem voltar a voar, mas há países que exigem ao transporte aéreo uma nova abordagem que tenha em conta um maior respeito pelo meio ambiente. É o caso da França, que se prepara para injectar sete mil milhões de euros na sua companhia de bandeira, mas à qual o governo exige que reduza em 50% as emissões de CO2 nos voos domésticos até 2024.