Festival de Veneza vai mesmo avançar com a edição de 2020

O presidente da Bienal de Veneza, Roberto Cicutto, anunciou esta segunda-feira que a edição de 2020 do Festival de Veneza irá arrancar a 2 de Setembro e afastou cenário de colaboração com Cannes.

Foto

Apesar da pandemia de covid-19, que já fez mais de 23 mil mortos em Itália, a 77.ª edição do Festival de Veneza não será cancelada ou adiada, e irá decorrer entre os dias 2 e 12 de Setembro, garantiu esta segunda-feira o produtor de cinema Roberto Cicutto, actual presidente da Bienal de Veneza, que engloba aquela que é mais antiga mostra de cinema do mundo.

Cicutto descartou também qualquer possibilidade de Veneza e Cannes organizarem excepcionalmente um festival comum, como chegou a ser aventado pelo director do festival francês, Thierry Fremaux. Depois de terem sido avançadas por duas vezes possíveis datas alternativas para o Festival de Cannes, e uma vez definitivamente excluída a hipótese, que chegou a ser levantada, de este se realizar na Internet, ainda não se sabe se o festival francês vai ou não ser cancelado.

“Com Cannes tudo é possível, mas acho desconcertante que Thierry Fremaux continue a dizer que está a analisar a situação e não diga o que quer fazer”, comentou Cicutto à agência noticiosa italiana ANSA.

Embora a Itália seja um dos países do mundo mais afectados pela pandemia, o presidente da Bienal de Veneza mostra-se confiante de que o Governo concederá a Veneza uma licença especial para “abrir seis ou sete salas” para exibição de filmes durante o festival.

Se Veneza vier de facto a avançar com o festival em Setembro e o de Cannes vier a ser cancelado, é provável que a programação do festival italiano venha a beneficiar de um conjunto de filmes que de outro modo se estreariam em Cannes.

Sugerir correcção