Covid-19: autarca de Rio Tinto perdeu “a conta às vezes que chamou polícia” e apela a ficar em casa

Famílias a contornar as fitas do passadiço e um grupo de 15 jovens que saltou a vedação do parque urbano foram algumas das situações denunciadas.

O passadiço foi interditado
Foto
O passadiço foi interditado LUSA/ESTELA SILVA

O presidente da Junta de Rio Tinto, a maior freguesia de Gondomar, diz já ter “perdido a conta das vezes que ligou à polícia” a denunciar infracções, deixando nesta sexta-feira um apelo “desesperado” à população para que fique em casa.

Famílias a contornar as fitas do passadiço e um grupo de 15 jovens que saltou a vedação do parque urbano foram algumas das situações que levaram o presidente da Junta de Rio Tinto, Nuno Fonseca, a chamar as autoridades.

Em causa está uma freguesia que conta com 47 mil habitantes, sendo a maior e mais populosa de Gondomar, concelho do distrito do Porto que aparece hoje, de acordo com o boletim da Direcção-Geral da saúde, como o quarto com mais casos de infecção com o novo coronavírus (424).

“E na freguesia de Rio Tinto já se realizaram cinco funerais de vítimas [do novo coronavírus]”, revelou o autarca, deixando um apelo desesperado. “Fiquem em casa. Cumpram as orientações. Gondomar é um dos concelhos com mais infectados e Rio Tinto corresponde a 50% do território de Gondomar. É mesmo para ficar em casa”, disse Nuno Fonseca.

Sem conseguir já contabilizar quantas vezes ligou para a PSP a denunciar infracções, o autarca de Rio Tinto descreveu à Lusa que, na quinta-feira, “a polícia teve de retirar 15 jovens do Parque Urbano da Quinta das Freiras” e que, no fim-de-semana, filmou “famílias inteiras a contornar as fitas de vedação do passadiço”.

“Ontem [quinta-feira] não eram cinco ou 10, eram 15. Saltaram a vedação e foram para lá jogar à bola. No fim-de -semana filmei o passadiço e só não publiquei nas redes sociais porque se conseguia ver perfeitamente as pessoas, mas mereciam. Vi uma família de quatro com um triciclo na mão e muitas outras a contornar as fitas de vedação”, descreveu Nuno Fonseca.

Já numa publicação recente no Facebook, o autarca começa por dizer que se considera “um tipo controlado nas redes sociais”, mas confessa-se “irritado”. “Sou presidente de Junta há mais de seis anos e nunca tive de ligar tantas vezes para a polícia por causa de outros assuntos como agora, com o pessoal que anda a passear e a apanhar sol”, refere. Na mesma publicação, o autarca de Rio Tinto frisa que o passadiço está fechado, assim como os parques urbanos e explica que essa medida foi tomada “para segurança de todos”. “Acham mesmo que a polícia não tem mais nada que fazer? Acham que ainda não morreram pessoas? Não estamos em tempo de passeios”, termina.

Sugerir correcção