Cais, uma viagem para ajudar quem mais precisa

A Associação Cais suspendeu a venda da sua revista nas ruas. E a agência de Viagens Nomad decidiu “ajudar quem mais precisa durante esta época incerta”.

Foto
Nomad

Pela primeira vez, em 25 anos, a CAIS suspendeu (desde o dia 16 de Março e até uma próxima avaliação no final do mês de Abril) a venda da sua revista nas ruas, o que significa que muitos vendedores vão ficar sem os rendimentos a ela associados. Sensibilizada com esta realidade, a agência de viagens Nomad lançou uma campanha de solidariedade oferecendo à Associação Cais as vendas de Para Poder Voltar - Diário Transiberiano, um livro do Mateus Brandão (editado pela Nomad e distribuído pela Manifesto).

PÚBLICO -
Nomad
PÚBLICO -
Nomad
PÚBLICO -
Nomad
Fotogaleria
Nomad

“Enquanto se multiplicam os apelos para não sairmos de casa, a vida daqueles que não têm um lar torna-se cada vez mais difícil, revelando a fragilidade de uma situação que nunca foi fácil”, escreve a Nomad numa página criada para esta campanha. As vendas revertem integralmente para a Cais.

Para Poder Voltar narra “a história de uma viagem de comboio num homem”. “Viajar a bordo do Transiberiano é uma experiência única. O comboio adopta o estatuto de casa; um espaço multifamiliar de convívio, partilha e amizade, onde o tempo passa ao ritmo do trepidar dos carris. As horas passam. Aceleram. Há famílias inteiras carregadas de bagagem como quem muda de casa, como quem muda de vida. É a vida a bordo num dos mais longos comboios do mundo”, escreve Mateus Brandão.

O intuito desta campanha, justifica a Nomad, é “fazer-nos olhar para aqueles que estão a ser fortemente afectados pelo isolamento e sentimento de abandono”. Com a venda deste livro, a agência de viagens quer usar “a narrativa de viagem como uma ponte para ajudar quem mais precisa durante esta época incerta”.

Em Abril, a revista CAIS será disponibilizada para todos em formato digital no site da Associação. Na sua página de Facebook, a associação apela a todos os que possam contribuir “para garantir a subsistência destas pessoas” através do IBAN PT50.0036 000099105891576.59.

Sugerir correcção