Isolamento marca aumento “significativo” de uso das redes de comunicações

Mais Internet fixa, mais chamadas de voz e maior recurso aos serviços de TV – portugueses adaptam-se aos tempos de pandemia.

Vila Nova de Gaia
Foto
Nelson Garrido

A Vodafone, a Nos e a Meo apresentaram esta quarta-feira os dados de tráfego de telecomunicações na primeira semana de confinamento generalizado, em que a maior parte dos consumos de comunicações saiu dos escritórios e passou para as zonas residenciais.

Na semana de 16 a 22 de Março, em que as escolas foram formalmente encerradas e grande parte dos portugueses passou a estar em teletrabalho, os operadores de telecomunicações registaram naturalmente maiores tráfegos de internet fixa, mas também de voz fixa e móvel, e maior consumo de serviços de streaming, como o Netflix.

A Vodafone Portugal relata que “desde o início da segunda quinzena de Março” verificou “alterações significativas no comportamento” da sua rede.

Registaram-se “volumes de tráfego expressivos, quer na rede fixa quer na rede móvel” comparativamente “com os mesmos dias numa semana normal em Fevereiro”.

Na Internet fixa, o tráfego de dados subiu 67%, enquanto na Internet no telemóvel o aumento foi de 8%. O tráfego de voz móvel subiu 41%.

O tempo de visualização de serviços de streaming (os chamados over the top, ou OTT) aumentou 25%. Por outro lado, o uso da TV não linear (o vídeo on demand, as gravações pessoais e o rewind) cresceu 11%.

Quanto a horários “com maiores picos”, a empresa destaca, na Internet fixa, o “domingo às 18h” e, durante a semana, as 22h. Nos dados móveis, o pico também se registou às 22h durante a semana. Na voz móvel, a Vodafone refere um pico de utilização às 17h durante a semana.

A operadora diz que adoptou medidas de optimização das redes para “garantir a capacidade de escoamento do tráfego todo” sem afectar a qualidade do serviço e considera que o dia 16 de Março “foi o ponto de partida para analisar” aquele que espera que seja o “comportamento da rede Vodafone ao longo dos próximos tempos”.

No caso da Nos, a empresa registou, “face às semanas anteriores, um aumento significativo de tráfego de comunicações”. Na Internet fixa, o aumento foi “na ordem dos 70%”. O período de maior utilização ocorreu pelas 19h e cresceu “35% à hora de pico”.

Já o tráfego de dados móveis subiu 45% na primeira semana de isolamento social, registando-se a maior utilização entre as 21h e as 23h, com um aumento de 41% à hora de pico.

Os clientes da Nos também usaram mais a voz residencial fixa. Neste serviço, o tráfego aumentou 133%, com o período de utilização a registar-se também pelas 19h, com um aumento de 142% à hora de pico.

Quanto à voz móvel, foi mais utilizada entre as 16h e as 20h. No conjunto da semana, o tráfego aumentou 41%, mas no horário de pico a subida foi de 30%.

“Também o número de sessões de TV não linear registou um aumento de 13%” na semana entre 16 e 22 de Março, “com o período de maior utilização a registar-se no horário nocturno” e “um aumento de 16% à hora de pico”.

A Meo, a operadora da Altice Portugal, faz a comparação de tráfego com a semana de 9 a 15 de Março, e refere que registou um aumento de 35% na Internet fixa e outro de 10% na Internet móvel.

O tráfego de voz móvel subiu 30% e o tráfego de voz fixa aumentou 80%. Durante a semana, o horário com maior utilização da rede registou-se às 22h, mas no fim-de-semana também se verificou um pico às 17h.

A Meo refere que houve um aumento de 15% no tempo de visualização de canais TV. A TV não linear subiu 9% e os serviços de video on demand (VOD), 75%.

Quanto ao crescimento do consumo de OTT, a empresa nota, “sem especificar canais”, que foi de 45%.

Sugerir correcção